Publicidade
Publicidade

Patrícia Pillar
Patrícia Pillar

Biografia
Patrícia Gadelha Pillar (Brasília, 11 de janeiro de 1964) é uma atriz e modelo brasileira, contratada pela Rede Globo.
Foi casada por 12 anos com o ex-deputado federal Ciro Gomes, filiado ao PSB, de quem se divorciou em dezembro de 2011.1
Participou do grupo de teatro Asdrúbal Trouxe o Trombone. Fez sua estreia em televisão em 1985, no programa de videoclipes musicais FM TV, em parceria com Tim Rescalla, na Rede Manchete, e na telenovela Roque Santeiro, da TV Globo.

Infância e início da carreira
Patrícia Pillar nasceu três meses antes do Golpe Militar de 1964. Em virtude da profissão de seu pai, Nuno, oficial da Marinha, Patrícia saiu de Brasília e morou em diversos lugares do Brasil, como Vitória e Santos, até se fixar no Rio de Janeiro, aos 14 anos.
Patrícia sempre quis ser atriz, então trabalhava enquanto fazia o ensino médio para pagar as aulas de teatro. Aos 16 anos fez sua primeira foto como modelo. Chegou a cursar a faculdade de jornalismo, mas desistiu para investir na carreira de atriz. Começou no teatro amador, fez Tablado, depois entrou para o grupo de teatro Asdrúbal Trouxe o Trombone. Em 1983 fez seu primeiro filme, Para Viver um Grande Amor, onde atuou com Djavan. Foi sua atuação nesse filme que a fez ser escalada para o elenco de Roque Santeiro, em 1985.

Cinema
Seus trabalhos mais importantes no cinema foram em O Quatrilho e em Zuzu Angel. O Quatrilho chegou a ser indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro, e foi um dos precursores do processo de retomada do cinema nacional. Para compor essa personagem, ela teve que passar meses aprendendo o sotaque vêneto, conviveu com colonos e aprendeu a traçar palhas para fazer cestos. Zuzu Angel é a personagem mais complexa da carreira de Patrícia nos cinemas, como ela mesma definiu.
Patrícia foi cogitada para viver a personagem título do filme Olga, mas abandonou o projeto com a saída do diretor Luiz Fernando de Carvalho. O papel acabou ficando para Camila Morgado.
Fã do cantor e compositor Waldick Soriano, dirigiu o premiado documentário sobre a vida do ídolo da música romântica brasileira, chamado Waldick, Sempre no Meu Coração. Essa foi sua estreia como diretora no cinema.

Campanhas
Em dezembro de 2001 Patrícia descobriu que tinha um nódulo no seio. Foi constatado que era um tumor maligno, porém como foi diagnosticado em estágio inicial ele pôde ser totalmente removido. A atriz tornou público seu drama e apareceu de cabeça raspada em vários eventos, como forma de incentivar as mulheres a fazer o autoexame de mama e a enfrentar o câncer. A partir de então integrou a campanha "O câncer de mama no alvo da moda", do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer, que conta com o apoio de diversos artistas
Participou também da campanha Bem-Querer Mulher, pelo fim da violência contra a mulher.

Última atualização: 15/05/2013 00:00
Siga-nos
Facebook - Guia de Programação Twitter - Guia de Programação

Publicidade

Guia de Programação - 2019