Publicidade
Publicidade

Rainha da Sucata
Rainha da Sucata

Canal: 2

Histórico
Rainha da Sucata é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 2 de abril a 29 de outubro de 1990, com 179 capítulos substituindo Tieta e antecedendo Meu Bem, Meu Mal. Foi escrita por Sílvio de Abreu, com colaboração de Alcides Nogueira e José Antonio de Souza, e dirigida por Jorge Fernando, Fábio Sabag, Mário Márcio Bandarra e Jodele Larcher.
Contou com Aracy Balabanian, Regina Duarte, Fernanda Montenegro, Glória Menezes, Tony Ramos, Antônio Fagundes, Emiliano Queiroz, Nair Belo, Lima Duarte e Daniel Filho nos papéis principais da trama.
Foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo entre 28 de fevereiro e 16 de setembro de 1994 em 145 capítulos, substituindo Direito de Amar e antecedendo Tieta.
Está sendo reprisada pelo Canal Viva desde 21 de janeiro de 2013 substituindo Que Rei Sou Eu?, e sendo substituida por As Filhas da Mãe na faixa das 20h.


Trama
Ambientada em São Paulo, a trama de Rainha da Sucata retrata o universo dos novos-ricos e da decadente elite paulista contrapondo duas personagens femininas, a emergente Maria do Carmo (Regina Duarte) e a socialite falida Laurinha Figueroa (Glória Menezes). Maria do Carmo enriquece com os negócios do pai, o vendedor de ferro-velho Onofre (Lima Duarte), e se torna uma bem-sucedida empresária, mas mantém os hábitos de seu passado humilde. Ela mora com o pai e a mãe, Neiva (Nicette Bruno), no bairro de Santana, na zona norte de São Paulo.
Apaixonada por Edu Figueroa (Tony Ramos), que a desprezara e humilhara na juventude, ela decide “comprá-lo”: propõe casar-se com ele para ajudar sua família, de origem tradicional, mas à beira da falência. Edu aceita a proposta, e a emergente, após o casamento, vai morar no casarão dos Figueroa, nos Jardins, sofisticado reduto da cidade. Na nova casa, Maria do Carmo passa a viver um pesadelo por causa de Laurinha. Casada com Betinho (Paulo Gracindo), pai de Edu, a socialite é obcecada pelo enteado e faz de tudo para conquistá-lo, e não vai deixar a sucateira Maria do Carmo, em paz.
Além do mau casamento e da perseguição de Laurinha, a empresária começa a ver seus negócios darem errado por culpa do administrador Renato Maia (Daniel Filho), em quem ela confiava plenamente. Renato, na realidade, é um corrupto que aplica um golpe em Maria do Carmo. O executivo se casa com Mariana (Renata Sorrah), uma mulher frágil e rica, que sofre com as ameaças do marido, que só se casou com ela por interesse em sua fortuna. Mariana é irmã de Caio (Antônio Fagundes), um professor de história gago que se vê dividido entre a noiva, a fogosa Nicinha (Marisa Orth) e a dançarina de cabaré, Adriana Ross (Cláudia Raia), que por sua vez é filha da vilã Laurinha Figueroa.
A trama também foi marcada pela inesquecível personagem Dona Armênia (Aracy Balabanian), armênia que mora no Brasil há anos, com os filhos Gera (Marcello Novaes), Gino (Jandir Ferrari) e Gerson (Gerson Brenner), que trata como se fossem bebês. Gerson, por sinal é o braço direito de Maria do Carmo na empresa, com quem acaba se envolvendo no início da trama. Os três irmãos mais tarde vão acabar disputando o amor da jovem Ingrid (Andrea Beltrão), filha da requintada senhora Isabelle (Cleyde Yáconis). Dona Armênia acaba conquistando os direitos do território onde a empresa de Maria do Carmo é erguida, e resolve demolir o edifício. Sua frase "Vou botar essa prédio na chon!" marcou a trama e a personagem.
Outras tramas também merecem destaques como a da jornalista Paulinha (Cláudia Ohana), que apaixonada pelo trabalho, acaba se envolvendo com Edu e passa a fazer matérias sobre a derrocada da família Albuquerque Figueroa. Ainda na trama tem Jonas (Raul Cortez), o pai misterioso de Paulinha, um homem sério e simpático, que trabalha como copeiro na mansão dos Figueroa, e guarda grandes segredos sobre o seu passado e seu envolvimento misterioso com Laurinha.
No decorrer da trama, a ex-empregada de Laurinha, Lena (Lolita Rodrigues) revela que sua filha, Alaíde (Patrícia Pillar) é fruto de um estupro cometido por Betinho. Edu passa a perna em Maria do Carmo e resolve revender seu carro com um concorrente dela e esta, furiosa, inicia uma discussão após ele tê-la seduzido. No momento, Laurinha adentra o quarto e, assustada, a empresária desfere um tiro no marido, que fica à beira da morte. Maria do Carmo é levada para prestar depoimento e começa a acareação com Laurinha, que faz acusações falsas a ela, que acaba agredindo a vilã na delegacia e imediatamente é presa. Mais tarde, a protagonista é levada para um presídio e ali fica, até que Paula, sua ex-rival, agora namorada de Rafael, resolve ajudá-la após as falsas declarações de Laurinha.
Paula entrevista Maria do Carmo e ela confessa tudo o que vivia na mansão dos Figueroa. Edu, já recuperado, vai até a cadeia e os dois discutem friamente. Alguns capítulos mais tarde, Maria do Carmo conhece Dalva (Neuza Amaral) no presídio e ela lhe conta sobre seu passado que envolve Laurinha, e lhe deixa uma dúvida: Adriana ou Rafael, um dos dois, não é filho de Betinho, e sim do ex-marido de Dalva e ex-amante de Laurinha, Vado (Gracindo Júnior). Maria do Carmo é solta e enfrenta a vilã na mansão. A essa altura, Laurinha já envenenara Betinho e, após a discussão das duas, ele passa mal e é levado às pressas para o hospital, mas acaba morrendo.
Dona Armênia é chantageada por Renato e ameaça Maria do Carmo: caso ela não lhe entregue suas ações, ela derrubará o prédio da Sucata. Dito e feito, a dona-de-casa convoca a cidade para a demolição, mas surge um fato novo: Maria do Carmo fizera uma aposta com os acionistas e, caso a Lambateria Sucata não superasse o faturamento, ela perderia tudo, e é o que acaba acontecendo. A empresária volta a recolher e vender sucata nas ruas, até que a meia-irmã, Mariana, se dá conta de quem Renato Maia realmente é. Então, ela e Caio passam as ações do professor para ela, e a protagonista volta como acionista minoritária da Do Carmo, e logo é eleita representante dos acionistas.
Maria do Carmo descobre o fruto do ódio de Renato: o pai dele, (Carlos Gregório), foi friamente assassinado pelo pai dela, Onofre, na frente dele, que era apenas uma criança, no Rio de Janeiro. Paralelo a isso, a vilã Laurinha começa a receber cartas anônimas acusando sua participação na morte de Betinho. Posteriormente, ela vai enlouquecendo aos poucos, e descobre a autora das correspondências: Isabelle. A vilã, no mesmo dia da descoberta, vai à festa da Sucata, atrai Maria do Carmo para o terraço do prédio, pega seu brinco à força e se suicida ao se atirar de lá de cima. Os problemas aumentam com a única testemunha do suicídio: Renato, que inventa que a empresária cometeu homicídio contra a perua.
A mocinha tenta fugir da polícia, mas acaba presa na fronteira com a Bolívia. Entretanto, no último capítulo, Renato morre na explosão de um posto de gasolina, e Edu e Paula conseguem provas da inocência de Maria do Carmo. Ela perdoa Edu e eles vivem felizes.

Última atualização: 19/07/2013 17:39
Siga-nos
Facebook - Guia de Programação Twitter - Guia de Programação

Publicidade

Guia de Programação - 2019